domingo, 28 de fevereiro de 2010

CARIOCAS, VOCÊS SE LEMBRAM DELA?



`Eu sou o tipo de pessoa que acha tudo depois que o partido decidir.` - Benedita da Silva, quando não soube o que dizer sobre a conveniência de ter um ou dois palanques no Rio para Dilma Rousseff.


Benedita admitiu não ter opinião própria ou que aceita ser manipulada por seu partido político? Na verdade, para  os eleitores tanto faz, pois nos dois casos a candidata mostra que não merece nosso voto. 

Além disso...
VAMOS RELEMBRAR QUEM É ESSA FUTURA CANDIDATA CARIOCA :
Benedita está se aproveitando da política há 28 anos.

- Iniciou a carreira política como vereadora em 1982.
- Em 1986, foi eleita deputada federal.
- Foi reeleita em 1990.
- Participou da Assembleia Nacional Constituinte, como titular da Subcomissão dos Negros, das Populações Indígenas e Minorias e, em seguida, passou à Comissão de Ordem Social e da Comissão dos Direitos e Garantias do Homem e da Mulher.
- Candidatou-se a prefeita em 1992, mas não foi eleita.
- Em 1994, se elegeu Senadora.
- Foi eleita vice-governadora do Rio de Janeiro em 1998 na chapa de Anthony Garotinho. Para assumir o cargo, renunciou ao mandato de Senadora  (a conhecida  dança das cadeiras), que só terminaria em 2002

- Em 2002 assumiu o governo do Rio de Janeiro, quando  Anthony Garotinho renunciou para concorrer à Presidência da República.  
- Foi candidata a reeleição, mas foi derrotada logo no primeiro turno  (venceu Rosinha Garotinho, mulher do ex-governador Anthony Garotinho).
- Seu governo no Rio de Janeiro foi vergonhoso com crise financeira indecente e troca de acusações entre ela e seu antecessor pela responsabilidade nos rombos do governo - o TCE-RJ reprovou as contas do Exercício de 2002.

- Em 2001, presidiu a Conferência Nacional de Combate ao Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerâncias Correlatas, que reuniu mais de dez mil pessoas de todo país, entre lideranças de ONGs e governos.
- Com a eleição de Lula para a presidência do Brasil, assumiu a Secretaria Especial da Assistência e Promoção Social, com status ministerial.
- Deixou o cargo por  suspeita no uso de recursos públicos em um evento religioso na Argentina. Devolveu o valor das diárias e das passagens, o que comprova ter usado o dinheiro de maneira ilegal.

Mesmo depois de 28 anos
 pulando prá lá e  prá cá
parece que Benedita emgordou alguns quilinhos.
Deve ser o prazer por tantos cargos acumulados.

Carioca, seja bonzinho e não deixe que ela engorde mais ainda.
NÃO VOTE NELA.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Rio Grande do Sul


Rio Grande do Sul
Capital:   Porto Alegre


Origem do nome Rio Grande do Sul:  O nome se originou de  erros e discordâncias cartográficas, quando se acreditava que a Lagoa dos Patos fosse a foz do Rio Grande.



Abaixo está a lista dos nomes que não devem ser votados, para evitar a sujeira em que se transformou o Congresso e evitar esse pula-pula eleitoral imoral, em  que parlamentares, desrespeitando os eleitores,  nunca terminam seu mandato, para concorrer a outra eleição e se eternizar no poder.  Divulgue a lilsta de seu Estado entre conhecidos e peça que façam o mesmo.

VAMOS FAZÊ-LOS SAIR, PORQUE O PODER TEMOS NÓS. CARGO DE DEPUTADO OU SIIMILARES NÃO É EMPREGO PÚBLICO.   QUEM NÃO TEM RESPONSABILIDADE PARA ESCOLHER, NÃO TEM DIREITO DE RECLAMAR.   SE VOTOU MAL, ENGOLE  CALADO.

QUANDO VOLTAR DA VOTAÇÃO, SE OLHE E NO ESPELHO
E SINTA ORGULHO POR SE FAZER RESPEITAR.


Abílio dos Santos - PTB
Adão Pretto (PT) - morreu no ano passado /Informacao de Auber Lopes de Almeida, blogh http://por-outrolado.blogspot.com/
Adão Villaverde - PT
Adilson Troca - PSDB
Adolfo Brito - PP

Adroaldo Loureiro - PDT

Afonso Hamm (PP)

Alberto Oliveira - PMDB

Alceu Moreira - PMDB

Alexandre Postal - PMDB

Aloísio Classmann - PTB
Álvaro Boessio - PMDB
Arnaldo Kney - PSDB
Beto Albuquerque (PSB)

Busato (PTB)

Cassiá Carpes - PTB

Ciro Simoni - PDT

Covatti (PP)

Daniel Bordignon - PT

Dionilso Marcon - PT

Edson Brum - PMDB

Eliseu Padilha (PMDB)

Elvino Bohn Gass - PT

Enio Bacci (PDT)

Fabiano Pereira - PT

Francisco Appio - PP

Francisco Pinho - DEM

Frederico Antunes - PP

Germano Bonow (PFL)

Gerson Burmann - PDT

Gilberto Capoani - PMDB

Gilmar Sossella - PDT

Giovani Cherini - PDT

Heitor Schuch - PSB

Henrique Fontana (PT)

Ibsen Pinheiro (PMDB)

Iradir Pietroski - PTB

Ivar Pavan - PT
Jerônimo Goergen - PP

João Fischer - PP

Jorge Gobbi - PSDB

José Otávio Germano (PP)

Júlio Redecker (PSDB) - morreu no ano passado - Informacao de Auber Lopes  de Almeida,  blogh http://por-outrolado.blogspot.com/
Kalil Sehbe - PDT

Leila Fetter - PP
Luciana Genro (PSOL)

Luciano Azevedo - PPS

Luis Augusto Lara - PTB

Luis Carlos Heinze (PP)

Luiz Fernando Záchia - PMDB

Mano Changes - PP

Manuela (PCdoB)

Marco Maia (PT)

Maria do Rosário (PT)

Marisa Formolo - PT

Marquinho Lang - DEM

Mauro Sparta - PSDB

Mendes Ribeiro Filho (PMDB)

Miki Breier - PSB

Nélson Härter - PMDB

Nelson Marchezan Jr.- PSDB

Nelson Proença (PPS)
Onyx Lorenzoni (PFL)
Osmar Terra (PMDB)

Paulo Azeredo - PDT

Paulo Borges - DEM
Paulo Brum - PSDB

Paulo Paim - PT

Paulo Roberto (PTB) Pedro Pereira – PSDB
Pedro Simon - PMDB

Pedro Westphalen - PP
Pepe Vargas (PT)

Perondi (PMDB)

Pimenta (PT)

Pompeo de Mattos (PDT)

Professor Ruy Pauletti (PSDB)

Raul Carrion - PC do B

Raul Pont - PT

Renato Molling (PP)

Ronaldo Zülke - PT

Sandro Boka – PMDB

Sérgio Moraes (PTB)

Sérgio Zambiasi - PTB

Silvana Covatti - PP

Stela Farias - PT

Tarcisio Zimmermann (PT)

Vieira da Cunha (PDT)

Zilá Breitenbach - PSDB







ÉRICO RIBEIRO -  PP
EDIR DE OLIVEIRA  - PTB
PAULO JOSÉ GOUVEIA -  PL
PAULO PIMENTA   - PT


Para saber porque têm ficha suja, é só clicar aqui

   Mas nunca podemos esquecer que esta ficha não diz tudo; 
inexplicavelmente Sarney não tem ficha suja

Rio Grande do Norte

Rio Grande do Norte

Capital: Natal


O nome do Estado se originou do extenso Rio Potengi.

Abaixo dos comentários sobre o Estado, está a  lista com os nomes a NÃO SEREM VOTADOS.   Divulgue entre seus conhecidos e peça que façam o mesmo.   PRECISAMOS LIMPAR O CONGRESSO, mesmo que tenha motivo para se orgulhar da atual situação do Rio Grande do Norte.  Cumprir o mandato de maneira decente não é favor, é obrigação. 

Caso os números continuem os mesmos,  além de ser o segundo estado mais seguro do país, o Rio Grande do Norte apresenta o segundo melhor Índice de Desenvolvimento Humano, o menor índice de mortalidade infantil,  o menor índice de desnutrição e a segunda maior expectativa de vida da Região Nordeste.  (atrás apenas de Santa Catarina).  A capital do estado também é considerada a capital menos violenta do país e décima quarta cidade mais segura do Brasil.   Sua governadora, Wilma Maria de Faria é do PSB.   
  
NÃO REELEJA NINGUÉM.  Na hora de votar é bom lembrar do escritor Eça de Queiroz, que disse:  “Os políticos e as fraldas devem ser trocados frequentemente e pela mesma razão”.

Álvaro Dias (PDT)

Antônio Jácome (PMN)
Arlindo Dantas (PHS)
Dr. Leonardo (PFL)
Ezequiel (PMN)
Fábio Faria (PMN)
Fátima Bezerra (PT)
Felipe Maia (PFL)
Garibaldi Alves Filho  (PMDB)
Gesane (PDT)
Getulio Rego (PFL)
Gilson Moura (PV)
Gustavo Carvalho (PSB)
Henrique Eduardo Alves (PMDB)
José Agripino DEM
João Maia (PL)
José Adécio (PFL)
José Dias (PMDB)
Larissa Rosado (PSB)
Lavo (PSB)
Luiz Almir (PSDB)
Márcia Maia (PSB)
Micarla De Sousa (PV)
Mineiro (PT)
Nélio Dias (PP)
Nelter Queiroz (PMDB)
Poti Júnior (PMDB)
Raimundo Fernandes (PMN)
Ricardo Motta (PMN)
Robinson Faria (PMN)
Rogério Marinho (PSB)
Rosalba Ciarlini  (DEM)
Sandra Rosado (PSB)
Walter Alves (PMDB)
Wober Júnior (PPS)



GARIBALDI ALVES  PMDB
NÉLIO DIAS  PP

Embora sejam apenas dois, não esqueçam  que José Ribamar (conhecido apenas como José Sarney) não consta da relação de políticos com ficha suja.  Como ele, certamente muitos outros.




quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

A falta de compromisso começa ...

...  com a danca das cadeiras


Antes de listar os nomes do Rio Grande do Norte, uma pausa para comentar sobre a falta de compromisso dos políticos, embora permitida por lei.  

Deputados, por exemplo,  são eleitos para um mandato de quatro anos.  E é para isso que lhes damos o nosso precioso voto.  No entanto, baseados nas leis eleitorais, criadas  por eles mesmos,  poucos cumprem o mandato até o final. 

De acordo com  as normas legais, precisam  se desincompatibilizar,  para se tornarem candidatos outra vez.  Desincompatibilizar  é um termo mais elegante para dizer exatamente o que estão fazendo:  abandonando o mandato para concorrer a outro e, assim, não serem obrigados a ficar afastados da rendosa política entre um período e outro.


Mas não apenas os parlamentares fazem isso.  Até mesmo aqueles que não escolhemos, mas que nos são impostos pelo governo, como é o caso de ministros.   Largam o Ministério nas mãos de secretários-executivos  (como será este ano)  e partem para a dança das cadeiras, ou melhor,  para a corrida pelo  'ouro'.

Alguns deles abaixo. 
Uns confirmados e outros ainda não

Geddel Vieira Lima (Integração)
Reinhold Stephanes (Agricultura)
Hélio Costa (Comunicações) 
Edison Lobão (Minas e Energia)
José Pimentel (Previdência)
Dilma Rousseff (Casa Civil)
Tarso Genro (Justiça)
Carlos Minc (Meio Ambiente)
Guilherme Cassel (Desenvolvimento Agrário)
Edson Santos (Igualdade Racial)
Orlando Silva (PCdoB, Esportes)
Henrique Meirelles (Banco Central
Alfredo Nascimento (PR, Transportes)
Márcio Fortes, do PP (Cidades).
Cândido Vacarezza (SP)
Arlindo Chinaglia (PT-SP).




No troca-troca,  José Múcio Monteiro deverá ser indicado para o cargo de ministro do Tribunal de Contas da União (TCU).  Sua vaga poderá ficar com Antonio Palocci (PT-SP), aquele  que demonstrou sua covardia com o caseiro Francenildo.  

 

 Estes nomes serão colocados
em cada Estado de origem
junto com outros que participam da dança das cadeiras.

SÓ NÓS PODEMOS ACABAR COM ESSE ACHINCALHE
ATRAVÉS DO NOSSO VOTO 
Pois eles jamais o farão